Os maiores desafios para fazer negócios no México

O México é um dos países mais competitivos para investimentos internacionalmente, graças à sua estabilidade política e macroeconômica, tamanho e força do mercado interno, além de uma inflação não flutuante. No entanto, fazer negócios pode ser uma tarefa trabalhosa, o que justifica porque é fundamental ter conhecimento local como parte do seu empreendimento.

Para tornar-se mais atrativo para investidores, o governo mexicano fez melhorias em sua infraestrutura e incentivou a concorrência em setores como transporte, energia e telecomunicações. Por causa disso, é agora a 15ª maior economia do mundo e a 11ª em termos de poder de compra.

Uma das maiores novidades no México foi a mudança em suas políticas de comércio. O país tem acordos de livre comércio com 46 países e se tornou uma base de manufatura, com fortes ligações a economias de consumidores nas Américas do Norte e do Sul. O México oferece também uma localização estratégica, próxima aos principais centros de consumo no mundo, permitindo que empresas respondam rapidamente a mudanças em demandas.

Ainda há muitas barreiras a serem superadas para fazer negócios no México. Ter conhecimento local do ambiente de investimento e informações úteis nas estruturas legal, contábil e de impostos pode, assim, ser uma vantagem para qualquer empreendimento.

Começando um negócio

Começar um negócio no México já foi um campo minado de complexidades, mas, graças a uma forte ação do governo, o procedimento hoje é muito mais gerenciável. O México está na 49ª posição na avaliação da Pesquisa de Facilidade para Fazer Negócios do Banco Mundial e em 90º quanto à facilidade de começar um negócio. Mesmo assim, ainda há diversos procedimentos que podem ser complicados para empresas que não estão familiarizadas com o ambiente, particularmente o registro com o Instituto Mexicano de Seguro Social (IMSS).

Licenças de construção

Leva cerca de 76 dias para obter as licenças de construção, o que é muito mais eficiente que a média na América Latina e no Caribe. Conexões de água e esgoto são o item mais demorado da lista e conseguir um certificado descrevendo o uso específico do terreno e a viabilidade pode ser uma tarefa complexa.

Conseguindo eletricidade

De acordo com o Banco Mundial, o México está na 92ª posição quanto à facilidade de obtenção de eletricidade, o que demonstra bem a complexidade do procedimento. É uma tarefa cheia de burocracia e as empresas devem enviar solicitações, obter certificados, além de realizar inspeções com a Comisión Federal de Electricidad (CFE) antes de uma construtora poder realizar os trabalhos necessários.

Registrando propriedades

Registrar propriedades é uma tarefa longa e árdua, e pode demorar quase o dobro do padrão para os países na OECD (média de 22 dias). Lidar com o Registro Público de Propriedade do Distrito Federal pode tomar muito tempo, e obter um certificado de bom uso com o serviço de água, além do Certificado de Zoneamento da propriedade pode também ser demorado.

Obtendo crédito

O setor de finanças bem desenvolvido do México o coloca em bons termos quanto à obtenção de crédito, apesar de ainda ser relativamente difícil comparado às nações mais desenvolvidas do mundo.

Protegendo investidores

A proteção ao investidor ainda é um problema contencioso no México, apesar que o Acordo Norte Americano de Livre Comércio (NAFTA) tenha facilitado a retificação de alguns obstáculos que existiam no país.

Pagamento de impostos

O pagamento de impostos é um processo complicado no México, que toma cerca de 240 horas de trabalho por ano, ainda que sejam apenas seis pagamentos. No último Índice de Complexidade Financeira da TMF Group, - que ranqueou 94 países quanto à sua complexidade em relação ao compliance com contabilidade e impostos – o México ficou na 15ª posição no geral e em 1º quanto à complexidade para a Escrituração Contábil (84%). A legislação de impostos no México é única no sentido de que a documentação básica aceita para o suporte a transações é a nota fiscal emitida pelo fornecedor. Ainda que o país esteja no processo de adotar o IFRS, é importante que todas as empresas estrangeiras que estejam interessadas em ingressar no país analisem as diferenças regulatórias e de relatórios, especialmente para diferentes indústrias.

Comércio entre fronteiras

Há custos consideráveis associados ao comércio entre fronteiras, muito maiores que a média na América do Sul e no Caribe. O custo de importação é de cerca de US$ 450 por contêiner e a exportação custa US$ 400. É também necessário muito tempo para movimentar cargas: 12 dias em média, tanto para importação quanto para exportação.

Executando contratos e resolvendo insolvências

Leva cerca de 350 dias para executar um contrato e há 38 procedimentos envolvidos neste processo, o que a torna uma tarefa complexa. Resolver insolvências, por outro lado, é mais rápido, levando apenas 1,8 anos em comparação com 2,9 em média na América do Sul e Caribe.

Cultura

Típicos encontros para negócios no México começam devagar e assuntos de importância – tais como fechar negócio – geralmente não são discutidos até o fim de uma sessão. Há uma grande diferença entre o nível executivo e todos os demais níveis das empresas e as decisões geralmente serão tomadas por uma pessoa e não por um corpo de diretores.

TMF Group

Temos conhecimento local para ajudar você a passar por todos estes campos minados. Quer você queira se estabelecer no México ou apenas agilizar suas operações mexicanas, fale conosco.

Saiba mais sobre a TMF Group no México