Ir para o conteúdo
Publicado
20 julho 2023
Tempo de leitura
19 minutos

Complexidade corporativa na América do Norte: aprofundando os conhecimentos sobre as jurisdições

Panoramic and perspective wide angle view high rise building

O Índice Global de Complexidade Corporativa 2023 da TMF Group explora 292 diferentes indicadores relacionados à complexidade corporativa para fornecer uma análise aprofundada dos desafios globais e locais que afetam a facilidade de se fazer negócios em todo o mundo.

Os insights do GBCI podem ajudar os investidores a escolherem e gerenciarem seus destinos com maior confiança. As jurisdições que estão classificadas como as mais complexas geralmente estão entre as mais atrativas para oportunidades de recrutar talentos e captar clientes. O conhecimento local te ajudará a lidar com esta complexidade, permitindo que você gerencie a exposição ao risco de compliance e encontre seu caminho para o crescimento.

Neste artigo, analisamos atentamente a região da América do Norte, para examinar os catalisadores de complexidade corporativa em cada jurisdição ou, pelo contrário, apresentando o que as torna ambientes mais simples para investimentos ou para começar a operar.

México
Classificação no GBCI 2023: 4º

A elevada posição do México se deve principalmente aos processos obrigatórios que estão vigentes na jurisdição. Por exemplo, ainda existem muitas situações em que a presença física é obrigatória, o que pode ser um desafio para negócios internacionais com diretores residindo em outros lugares.

Além disso, a legislação pode ser pouco clara e aberta a interpretações. Por exemplo, em 2022, o México introduziu os requerimentos de UBO. Quando eles foram apresentados, houve falta de clareza sobre qual documentação era necessária para que as empresas se constituíssem. Os notários que aprovam atividades sem a documentação correta estão sujeitos a pesadas multas e sanções, por isso, eles tendem a adotar uma abordagem bastante cautelosa para verificar os documentos necessários. Este processo pode fazer com que as organizações considerem difícil constituir presença no México.

O governo mexicano também está enfrentando resistência devido à sua posição com relação a fontes de energia renováveis, assumindo uma posição clara de bloquear o investimento estrangeiro em energia renovável, favorecendo as fontes de energia oriundas de combustíveis mais tradicionais. Esta é uma decisão polarizadora porque o impacto ambiental negativo é compensado pelo apoio financeiro que oferece aos muitos mexicanos que trabalham nas indústrias de combustíveis fósseis.

Acima de tudo, os investidores precisam confiar no estado de direito. Ele existe e é perceptível. Eles também precisam estar prontos para passar por um período de estudos sobre os processos e procedimentos para permanecerem em compliance, e precisam se adaptar à maneira de se fazer negócios no México.

Expert da TMF México

Confira os dados do México no Painel de Insights de Complexidade.

República Dominicana
Classificação no GBCI 2023: 18º

A República Dominicana oferece um ambiente estável para se fazer negócios. Ainda que possa haver alguma complexidade para as organizações que se constituem e operam localmente, os modos de funcionamento permanecem semelhantes ao longo dos anos. Isso significa que, uma vez que as empresas estejam adaptadas às regras e regulamentos das jurisdição, elas não precisam realizar mudanças constantes para acompanhar as variações na legislação.

A jurisdição também pode oferecer grandes oportunidades para setores como agricultura, energia, logística, mineração, turismo e até mesmo cinema. O mercado está em constante crescimento e desenvolvimento. No entanto, a complexidade ainda está presente no momento da constituição e operação do negócio dentro do país. Um exemplo disto é que certos documentos precisam ser apresentados em espanhol, o que significa que empresas internacionais podem precisar trabalhar com tradutores para permanecerem em compliance.

Além disso, as leis trabalhistas são protecionistas: os funcionários só podem trabalhar, no máximo, por oito horas diariamente, somando 44 horas por semana. A semana de trabalho dentro da jurisdição se encerra ao meio-dia dos sábados e a remuneração sobre os períodos a partir disso devem ser acrescidos de 135% em forma de horas extras, ou de 150% para horas extras noturnas. De acordo com a lei local, dez por cento dos lucros da empresa devem ser repartidos com os funcionários e todos recebem uma gratificação de Natal equivalente a um mês de salário. Embora tais regras e regulamentos promovam a manutenção do bem-estar do funcionário, elas também servem para gerar custos adicionais para as organizações que entram na jurisdição e maior complexidade para atender aos requerimentos dos funcionários.

Apesar das complexidades, a República Dominicana possui profissionais muito bons em diferentes áreas, oportunidades de crescimento muito boas e está localizada em um ponto central, o que melhora a logística e oferece muitos tipos de investimentos para os investidores.

Expert da TMF República Dominicana

Confira os dados da República Dominicana no Painel de Insights de Complexidade.

Nicarágua
Classificação no GBCI 2023: 26º

Desde 2018, a Nicarágua enfrenta uma crise sociopolítica que gerou impactos generalizados, incluindo regras democráticas e índices de direitos humanos. Isso desencadeou um fortalecimento das leis e controles fiscais e também levou o governo dos EUA a sancionar funcionários e instituições públicas.

Este cenário de incerteza gera complexidade para as empresas que operam dentro da jurisdição, uma vez que os tempos de resposta de funcionários e instituições públicas diminuíram e novas tarifas tributárias foram introduzidas. Consequentemente, algumas empresas deixaram a Nicarágua rumo a jurisdições mais estáveis. Um dos fatores que contribui para um maior índice de complexidade é a alta inflação. Em 2022, ela foi de 11,59%, o que acarretou maiores custos para as empresas que operam no país.

A configuração política na jurisdição também pode causar complicações. A Nicarágua tem um único partido político, que detém a maioria de votos na Assembleia Nacional, que tem o poder de emitir leis e decretos com facilidade. Consequentemente, a legislação pode mudar rapidamente e sem aviso prévio.

No entanto, apesar da complexidade que os negócios podem enfrentar, a Nicarágua dispõe de ricos recursos e uma localização favorável com relação à América do Sul, o que significa que, se as empresas forem capazes de administrarem a atual incerteza política, poderão desfrutar dos benefícios de operar dentro da jurisdição.

A Nicarágua possui importantes recursos econômicos: uma geografia ecologicamente diversificada, localizada no centro das Américas, o que a torna um destino turístico desejável; uma indústria de exportação bem desenvolvida; proximidade com os Estados Unidos e fácil acesso às principais rotas marítimas nos oceanos Atlântico e Pacífico; e uma mão de obra jovem, trabalhadora e resiliente que respalda os setores de produção e de serviços.

Expert da TMF Nicarágua

Confira os dados da Nicarágua no Painel de Insights de Complexidade.

Panamá
Classificação no GBCI 2023: 27º

O Panamá permanece como uma jurisdição muito estável e objetiva para as empresas estrangeiras operarem e é um destino atrativo para investimentos na América do Sul. O Panamá é um hub bancário internacional e um importante centro financeiro offshore. Nos últimos anos, promover o investimento estrangeiro tem sido um dos principais objetivos do governo, que implementou iniciativas como a extensão de benefícios fiscais.

No entanto, as complexidades incluem a abertura e a configuração de uma conta bancária, que pode levar cerca de três meses e dificultar a entrada de empresas na jurisdição. Além disso, há limitações quanto ao número de funcionários estrangeiros que podem trabalhar para uma empresa que opera no Panamá. Os cidadãos locais nativos e residentes legais há pelo menos 10 anos devem representar pelo menos 90% do número de colaboradores de uma empresa. Há exceções concedidas pelo Ministério do Trabalho, mas a redução do limite para 85% somente é aplicável em circunstâncias especiais. No entanto, em abril de 2023, as autoridades panamenhas introduziram uma grande mudança nas categorias de permissão de trabalho, que deve aumentar o acesso das empresas à mão de obra estrangeira qualificada.

A digitalização fornece um exemplo de simplificação dos elementos de constituição e operação de empresas no Panamá. O país introduziu o faturamento eletrônico para requerimentos contábeis e fiscais, tornando-o mais acessível para as empresas que estão preenchendo seus relatórios fiscais. No entanto, este contador certificado (certified accountant – CPA) precisa estar registrado em uma entidade fiscal para realizar o faturamento.

Futuramente, espera-se que o Panamá permaneça como uma jurisdição estável nos aspectos geopolíticos, econômicos e sociais, o que indicará que é provável que continue sendo um local atrativo para as empresas estrangeiras operarem.

As oportunidades de investimento, um país estável e entidades governamentais alinhadas com processos automatizados fazem do Panamá um local atrativo para os negócios.

Expert da TMF Panamá

Confira os dados do Panamá no Painel de Insights de Complexidade.

Guatemala
Classificação no GBCI 2023: 37º

Mais uma vez, a Guatemala ocupa o 37º lugar no GBCI, o que significa que existem complexidades e aspectos mais simples para empresas estrangeiras que operam no país. Os aspectos que geram complexidade incluem os desafios do acesso de estrangeiros, pois as empresas devem se registrar junto a diferentes autoridades governamentais antes de começar a operar. O processo inicial de configuração pode ser difícil na Guatemala. No entanto, uma vez finalizado, é uma importante jurisdição para as empresas realizarem negociações.

As empresas devem estar legalmente registradas em pelo menos quatro entidades locais antes de iniciarem suas operações, de modo a estarem em compliance com a gestão de entidades e os requerimentos regulatórios. Apesar disso, os processos podem ser, em sua maioria, conduzidos de maneira virtual, facilitando o trabalho de investidores e empresas estrangeiras. É fundamental que as empresas compreendam o sistema de RH e folha de pagamento na Guatemala para estarem em compliance com os requerimentos necessários por parte do empregador. No entanto, nos últimos 12 meses, não houve mudanças significativas nas participações dos empregadores e dos trabalhadores, tornando o processo estável e acessível para os negócios.

No final de 2022, entrou em vigor o Reglamento de Evaluación, Control y Seguimiento Ambiental. Este regulamento prevê que qualquer projeto, obra, indústria ou qualquer atividade existente deve ser regulamentada se, devido às suas características, puder deteriorar algum recurso natural. Qualquer empresa que exerça estas atividades deve obter uma licença ambiental. Esta medida demonstra o compromisso do governo com a preservação do meio ambiente na Guatemala. Embora isso adicione uma camada inicial de complexidade devido à regulamentação adicional, ela é uma legislação relativamente simples para as respectivas empresas estarem em compliance.

Nos próximos anos, espera-se que a situação econômica, social, política e geopolítica da Guatemala permaneça estável, tornando-a uma jurisdição atrativa para as empresas operarem.

A Guatemala possui alguns requerimentos e procedimentos específicos complexos que exigem um bom assessoramento local.

Expert da TMF Guatemala

Confira os dados da Guatemala no Painel de Insights de Complexidade.

El Salvador
Classificação no GBCI 2023: 44º

Em El Salvador, as empresas estrangeiras são obrigadas a cumprir exigências de várias instituições, renovar inúmeras autorizações e licenças anualmente e concluir muitos processos presencialmente. No entanto, as empresas estrangeiras podem manter representantes estrangeiros para manter o compliance em El Salvador e realizar a maioria dos registros e processos por meio de procurações.

Os documentos fiscais ainda são emitidos de maneira física, o que torna necessário o comparecimento presencial e o acompanhamento de representantes para emissão e envio destes documentos. No entanto, as autoridades fiscais de El Salvador estão realizando uma transição para processos digitais, o que facilitaria e agilizaria a elaboração de relatórios e procedimentos fiscais. Esta medida representa uma boa oportunidade para realizar o faturamento de forma descentralizada e mais ágil.

No ano passado, os impostos previdenciários em El Salvador aumentaram, juntamente com os custos trabalhistas, tornando a jurisdição um local mais caro para empresas estrangeiras investirem. No entanto, os procedimentos de compliance com a previdência social são bastante simples, uma vez que os processos digitais existentes facilitam a submissão de relatórios a partir de qualquer lugar. Além disso, os canais digitais de atendimento são muito eficientes, o que faz com que quaisquer problemas que surjam sejam resolvidos rapidamente.

A economia de El Salvador está apostando em seu crescimento por meio da atração do turismo, promovendo-se como o país mais seguro da América Latina pelo fato de o governo ter implementado mais medidas para controlar atos criminosos.

Expert da TMF El Salvador

Confira os dados de El Salvador no Painel de Insights de Complexidade.

Costa Rica
Classificação no GBCI 2023: 45º

A Costa Rica é uma jurisdição atrativa para as empresas estrangeiras operarem, algo em parte impulsionado pelos processos digitalizados existentes e pelo fato de que não é necessário ter representantes legais locais para a maioria das empresas (com exceção de algumas atividades ou indústrias regulamentadas). As obrigações corporativas e fiscais são claras e padronizadas, o que significa que as empresas estrangeiras enfrentam desafios limitados ao constituírem e operarem um negócio na Costa Rica.

No entanto, existem alguns desafios para as empresas estrangeiras. Os requerimentos de UBO exigem um algo nível de detalhamento e podem consumir muito tempo. No entanto, para entidades que mantêm a documentação e as informações de sua estrutura de capital social organizadas, é possível lidar com os requerimentos com complexidade reduzida.

O governo costarriquenho lançou campanhas para atrair investimentos estrangeiros. Por exemplo, a Lei das Zonas Francas oferece incentivos para que as empresas operem ou comercializem na Costa Rica por meio de redução do imposto de renda e do imposto corporativo. Além disso, a Lei dos Nômades Digitais foi implementada em 2022, o que permitiu que trabalhadores remotos, empresários e freelancers pudessem trabalhar na Costa Rica por mais tempo do que o permitido por um visto de turista.

A Costa Rica está há muitos anos na vanguarda com relação à regulamentação da sustentabilidade ambiental na América Central. Um exemplo disso é a Política Nacional de Producción y Consumo Sostenible (Política Nacional de Produção e Consumo Sustentável) que busca adotar medidas sustentáveis em termos de produção e consumo em um período de 12 anos. Embora a legislação sobre sustentabilidade possa gerar complexidade para as empresas, ela geralmente é imprecisa e aberta a interpretações, e sua aplicação não é obrigatória para todas as empresas. Futuramente, existe a expectativa de que mais empresas sejam obrigadas a cumprir a legislação ambiental, mas há dúvidas sobre o que isso significará de maneira prática.

Embora iniciar as operações em um novo local sempre represente um desafio e tenha suas complexidades, com o suporte certo, o processo de constituição e operação de um negócio na Costa Rica pode ser simplificado e concluído com sucesso e tranquilidade.

Expert da TMF Costa Rica

Confira os dados da Costa Rica no Painel de Insights de Complexidade.

Honduras
Classificação no GBCI 2023: 47º

Honduras é uma das jurisdições mais simples para se fazer negócios na América Latina. A legislação e a regulamentação são bastante estáveis, o que significa que as estruturas legislativas são claras para empresas estrangeiras que estão se preparando para lidar com estes processos.

Existem alguns aspectos da abertura de um negócio que são complexos para empresas estrangeiras em Honduras. Por exemplo, é necessário conduzir um processo de constituição de um negócio separado para diferentes entidades governamentais, o que faz com que o processo geral possa demorar mais do que o esperado. As empresas são obrigadas a ter um representante legal presente em Honduras, sendo ele um cidadão hondurenho ou um estrangeiro residente, de modo a cumprir os requerimentos da entidade. Além disso, as empresas são obrigadas a ter um domicílio legal dentro da jurisdição e a enviar informações de UBO aos bancos. O acesso às informações das autoridades governamentais é limitado, e a falta de suporte compatível e virtual por parte delas pode dificultar o processo para empresas que tentam lidar com os principais processos ou novos regulamentos.

Nos próximos cinco anos, os experts da TMF Group em Honduras acreditam que a jurisdição esteja menos política, econômica e socialmente estável do que antes. Embora isso inevitavelmente crie um ambiente de negócios desafiador para as empresas estrangeiras, também é esperado um aumento no investimento na jurisdição nos próximos cinco anos.

As novas mudanças nos direitos humanos constitucionais podem afetar a estabilidade da força de trabalho e das empresas.

Expert da TMF Honduras

Confira os dados de Honduras no Painel de Insights de Complexidade.

Canadá
Classificação no GBCI 2023: 48º

Há um nível relativamente baixo de complexidade para empresas estrangeiras que operam no Canadá. Além dos registros de imposto de renda corporativo e IVA, os balanços financeiros independentes não precisam ser elaborados ou arquivados em nenhum órgão governamental. Além disso, há relativamente poucos requerimentos de retenção e remessa de folha de pagamento no Canadá, e as remessas para todas as províncias (exceto a de Québec) são submetidas à Agência de Receita do Canadá (Canada Revenue Agency).

As empresas podem enfrentar desafios se desejarem ser constituídas em nível federal, pois as 13 províncias e territórios que compõem a jurisdição possuem requerimentos distintos. Por exemplo, existem diferentes requerimentos para diretorias residentes, bem como registros de transparência de UBO. Outras variações por província incluem regras e taxas de IVA, retenções de impostos e regimes de seguro e compensação no local de trabalho.

O Canadá foi impactado por desafios geopolíticos, com o aumento da inflação gerando um impacto direto nos negócios. No entanto, a jurisdição continua sendo um mercado favorável para os funcionários e, como resultado, os aumentos salariais seguindo a inflação são comuns na maioria dos setores. Embora exista algum risco de recessão, parece que a inflação e as taxas de juros se estabilizaram, o que significa que as perspectivas econômicas devem ser estáveis do ponto de vista do investimento internacional.

O Canadá é um país estável – econômica e politicamente. Além disso, tem sistemas financeiros robustos e a população é bem-educada. O Canadá também é uma economia aberta em relação à mobilidade estrangeira, o que ajuda a aumentar a diversidade de habilidades disponíveis para investidores estrangeiros.

Expert da TMF Canadá

Confira os dados do Canadá no Painel de Insights de Complexidade.

Jamaica
Classificação no GBCI 2023: 49º

A Jamaica é uma das jurisdições mais simples para as empresas estrangeiras operarem, de modo que ficou em 49º lugar no GBCI deste ano. Esta classificação é, em parte, impulsionada por processos diretos de constituição de um negócio, com a maioria dos arquivamentos e registros preenchidos por meio de formulários claros e simples. Na maioria das entidades governamentais, as assinaturas digitais são aceitas e raramente são necessários documentos apostilados.

Por outro lado, a Jamaica possui um sistema tributário complexo, onde há taxas relativamente altas, bases estreitas e numerosas isenções e remissões. Há um elevado nível de informalidade associado que, juntamente com o fraco compliance fiscal, pode gerar incertezas para as empresas que lidam com estes processos. Outra área que pode gerar complexidade para empresas estrangeiras é o Regime de Previdência Nacional (National Insurance Scheme), onde há mudanças frequentes na legislação que podem dificultar o acompanhamento por parte de empresas e investidores estrangeiros (a última mudança ocorreu em meados de 2022).

Durante o ano passado, não houve nenhuma mudança significativa no processo de constituição e operação de negócios, o que significa que as empresas enfrentaram desafios limitados ao lidarem com novos requerimentos. Ao final de 2023, espera-se que uma lei de proteção de dados seja introduzida na Jamaica, que visa tornar a jurisdição mais alinhada com as leis GDPR aplicáveis na UE. Espera-se que isso adicione uma camada de complexidade para as empresas na Jamaica a curto prazo, devido ao tempo necessário para se acostumar com os novos requerimentos.

Durante o ano passado, não houve mudanças importantes na Jamaica, portanto, esperamos que elas não ocorram de modo a tornarem a operação e a constituição dos negócios mais ou menos complexas, mas sim que as tendências atuais permaneçam.

Expert da TMF Jamaica

Confira os dados da Jamaica no Painel de Insights de Complexidade.

Estados Unidos da América (EUA)
Classificação no GBCI 2023: 68º

Os EUA continuam sendo uma das jurisdições mais simples no GBCI deste ano, ficando apenas uma posição abaixo das 10 jurisdições mais simples do mundo. A simplicidade nos EUA decorre do foco ativo na criação de um ambiente favorável aos negócios que funciona para atrair investimento estrangeiro direto (IED). Consequentemente, o IED na jurisdição aumentou desde antes da pandemia da Covid-19. Este aumento advém do fato de que, em um período de grande instabilidade geopolítica, os EUA se mantiveram estáveis sobretudo quando comparados a algumas jurisdições europeias.

A jurisdição experimentou os efeitos do aumento da inflação nos últimos anos, no entanto, a mudança da presidência de Trump para Biden aumentou a confiança entre os investidores. Embora o ex-presidente Trump fosse liberal com relação aos impostos e aos negócios, a volatilidade que seu governo trouxe pode ser desafiadora para as empresas que operam no país. A administração do presidente Biden tende a oferecer um ambiente mais tranquilo para se investir, o que atrai IED para os EUA.

Espera-se que os EUA permaneçam em um nível semelhante de simplicidade nos próximos anos, no entanto, algumas mudanças são previstas. Por exemplo, a Lei de Transparência Corporativa (Corporate Transparency Act – CTA) será introduzida a partir de 2024 para novas entidades e a partir de 2025 para organizações estabelecidas no país. A CTA exige divulgações mais detalhadas para promover a transparência e reduzir os problemas de corrupção e lavagem de dinheiro. Isso pode gerar alguma complexidade adicional para as empresas que entram nos EUA, mas deve funcionar para manter a estabilidade, que atrai o IED, nos próximos anos.

Os EUA são um dos países abertos ao exterior para fazer negócios, pois não há restrições para residentes estrangeiros ou nacionais atuarem como diretores ou representantes legais de uma entidade. Os indivíduos pode constituir um negócio sem ter que estar fisicamente presentes nos EUA.

Expert da TMF EUA

Confira os dados dos EUA no Painel de Insights de Complexidade.

Ilhas Virgens Britânicas (IVB)
Classificação GBCI 2023: 73º

As IVB são, consistentemente, uma das jurisdições menos complexas para se fazer negócios, com a simplicidade e as necessidades corporativas globais profundamente enraizadas nos processos e princípios dentro da jurisdição. Por exemplo, os processos são altamente automatizados e a jurisdição prioriza o alinhamento com os padrões globais, para permitir que os negócios internacionais operem dentro de estruturas e abordagens conhecidas.

No entanto, em fevereiro de 2023, as IVB foram adicionadas à lista negra da UE de jurisdições não cooperativas para fins de fiscalização devido ao envio tardio da documentação necessária. A jurisdição está, de fato, alinhada com os padrões internacionais requeridos e atualmente aguarda que a UE revogue sua indicação à lista negra. Apesar dos desafios que esta classificação pode gerar, as empresas que operam nas IVB não estão muito preocupadas com isso. Elas sabem que a jurisdição é transparente e alinhada com os padrões, então esperam que os negócios voltem ao normal nos próximos meses.

A transparência das IVB e a segurança decorrente desta característica fazem com que a jurisdição continue sendo um local particularmente atrativo para PWFO e investidores de fundos, pois eles podem proteger ativos que podem estar em risco em jurisdições mais instáveis. Por exemplo, na América do Sul, os cenários podem ser instáveis devido a questões históricas de corrupção, hiperinflação e agitação política.

As IVB são um pivô no IED internacional que gera independência sobre determinados países e suas leis e dá muita liberdade às empresas internacionais para estruturar suas atividades e patrimônios. Existe uma estrutura legal bem-organizada e de bom funcionamento que se alinha rigorosamente aos padrões internacionais estabelecidos pela OECD, entre outros.

Expert da TMF Ilhas Virgens Britânicas

Confira os dados das IVB no Painel de Insights de Complexidade.

Curaçao
Classificação GBCI 2023: 76º

Curaçao continua sendo uma das jurisdições mais simples para operar e constituir negócios em todo o mundo devido à sua estabilidade, apesar do ambiente geopolítico agitado, e de um foco em promover simplicidade ano após ano. Por exemplo, a autoridade tributária de Curaçao tomou medidas no ano passado para acelerar e simplificar os processos, bem como para eliminar os atrasos gerados pela pandemia da Covid-19. Isso tornou Curaçao mais atrativo para receber investimentos do que nos anos anteriores e gerou novas oportunidades.

A abertura de uma conta bancária é o aspecto mais complexo da constituição de um negócio, pois os bancos tendem a evitar riscos e, portanto, precisam garantir que o capital seja legítimo. Esta característica está de acordo com a tendência global de maior foco em regulamentações de transparência, como o KYC. Investidores e empresas antecipam estas verificações, portanto, não é incomum para as organizações e indivíduos que entram em Curaçao.

Devido às suas conexões com a Holanda e sua configuração para o trabalho remoto, Curaçao tem atraído um número crescente de nômades digitais nos últimos anos. Os jovens empreendedores, em particular, estão aproveitando os preços mais baixos dos imóveis e outros benefícios que Curaçao oferece. Somado à flexibilidade que é decorrente do trabalho remoto, é provável que Curaçao continue atraindo trabalhadores estrangeiros nos próximos anos.

Curaçao é um porto seguro para investir na América do Sul. Não é um lugar particularmente complexo, desde que você tenha o conhecimento certo para ajudá-lo a se estabelecer. O único aspecto que pode gerar maior complexidade é a abertura de uma conta bancária.

Expert da TMF Curaçao

Confira os dados de Curaçao no Painel de Insights de Complexidade.

Ilhas Cayman
Classificação no GBCI 2023: 78º

As Ilhas Cayman continuam sendo a jurisdição menos complexa no GBCI, apresentando padrões de constituição de empresas e de contabilidade e impostos que tornam consideravelmente simples estabelecer e operar um negócio localmente. Os reguladores nas Ilhas Cayman adotam uma abordagem de “menor interferência” e a regulamentação em si é transparente e objetiva. Em comparação com as jurisdições onshore, onde há complexidade gerada pelos impostos e órgãos profissionais e reguladores mais desenvolvidos, as jurisdições offshore podem ser beneficiar de uma maneira mais fácil de se fazer negócios.

Nos últimos anos, houve uma mudança importante em direção à adoção dos requisitos globais de compliance regulatório, como de UBO, AML, FATCA e CRS. As empresas nas Ilhas Cayman agora estão bem conscientes destes requerimentos e lidar com elas tornou-se uma tarefa habitual para muitas empresas multinacionais.

Apesar de sua simplicidade, existem alguns desafios para novos clientes que operam nas Ilhas Cayman e que não são acostumados com jurisdições offshore. Por exemplo, as empresas podem se surpreender com o nível de detalhamento exigido para fins de KYC e AML, tornando o processo de abertura de conta bancária mais rigoroso. No entanto, este nível de regulamentação alimenta a estabilidade da jurisdição e sua posição como um centro financeiro global.

As Ilhas Cayman estão muito à frente em comparação com o resto do mundo quando se trata de legislação regulatória e de compliance.

Expert da TMF Ilhas Cayman

Confira os dados das Ilhas Cayman no Painel de Insights de Complexidade.

O Índice Global de Complexidade Corporativa 2023

Este artigo foi retirado do último relatório da TMF Group: o Índice Global de Complexidade Corporativa 2023.

Explore as classificações, análises e tendências globais para ajudá-lo a superar as camadas de complexidade do compliance corporativo – baixe o relatório completo aqui.

Para saber mais sobre os impulsionadores da complexidade corporativa nas jurisdições que te interessam, por que não explorar nosso Painel de Insights de Complexidade (em inglês)?

Índice Global de Complexidade Corporativa (GBCI)
GBCI 2024: Investindo com segurança em jurisdições de alta complexidade

Com a expectativa de que a legislação de compliance global seja mais rigorosa no futuro, o que isso significará em termos de complexidade? Neste artigo, analisaremos o impacto do risco regulatório no cenário de investimento.

Explorar tópico


Expanda seu negócio internacionalmente de maneira eficiente

Entre em contato para saber como podemos ajudar sua organização a crescer em um mundo complexo.

Entre em contato Entre em contato